Vergonhoso: PRM tenta travar pedalada do edil e embaixadores

Imbuídos de espirito que lhes é característico, a Polícia na altura dos factos dirigida por um agente de nome Domingos Luciano, foi parar de fronte do edifício da autarquia, local onde iniciaria a passeata, com alegacão de que haveria uma manifestação.

 Foram cerca de 15 minutos de bate-boca, entre Manuel de Araújo e a polícia, tentando encontrar um consenso até o edil, recorrer a outras instâncias, como a Ministra dos Negócios Estrangeiros, Verónica Macamo.

Edil exige posicionamento do Ministério Público

Falando momentos depois da visita do Embaixador dos EUA à Catedral Velha, Manuel de Araújo, Presidente do Conselho Autárquico de Quelimane, considerou de vergonhosa a atitude da polícia, que mais uma vez não conseguiu separar-se da veia partidária que lhe caracteriza.

De acordo com Araújo, uma polícia de um país, protege cidadãos e respeita a Constituição da República, mas esta de Moçambique, que tem mistura com guerrilheiros, não conhece os seus limites, por isso que viola os direitos das pessoas. Nisto, o Edil exigiu de forma veemente que o Ministério Público(MP), posicione-se para repor os direitos violados. “É uma oportunidade para ver o MP que tem estado mais preocupado com crimes difusos a agir neste assunto” -exigiu o edil para depois acrescentar que, “só assim teremos instituições de justiça credíveis “-rematou.

Renamo fala em perseguição política

Esta quinta-feira (04) a delegação da Renamo em Quelimane, convocou uma conferência de imprensa para deplorar a atitude estranha da polícia.  

Latifo Xarifo, delegado da Renamo no distrito de Quelimane, disse na ocasião que o ambiente na Zambézia contra o seu partido tem sido esse, quando se planifica um evento, sempre aparece a polícia para impedir. “Decorreu marcha em Gurúè da OJM com acima de 100 pessoas, ninguém disse nada e aqui em Quelimane, houve marcha num passado muito recente com mais de 150 pessoas, também ninguém disse nada”- lamentou Latifo, para depois lamentar que a ideia impedir que a oposição de realizar as suas actividades, mas isso não será possível porque esta cidade é governada pela Renamo.

PRM em argumentos fúteis

Perante este facto que está a chocar o mundo, a Polícia de forma envergonhada, veio tecer argumentos fúteis, através do seu Porta-voz e Chefe de Departamento de Relações Públicas, Miguel Caetano.

Caetano justificou a atitude como um mal-entendido, uma vez que segundo ele, a PRM não impediu a passeata, mas sim a ideia era chamar a consciência o edil, Manuel de Araújo, pelo facto de organizar a referida passeata, sem no mínimo dar a conhecer a polícia.

Explica Miguel que a polícia foi colhida de surpresa com a informação de que estava para arrancar uma marcha ou passeata do edil e alguns embaixadores, facto que no seu entender precisaria de segurança. “A informação quando chegou ficamos surpresos e fomos ao local para chamar a consciência” – disse para depois vincar que, “era em número de 10 ou 15 pessoas por sinal figura, era preciso garantir segurança, porque a cidade de Quelimane e banhada de ciclistas e basta o edil fazer-se a rua de bicicleta, todos taxistas estariam na caravana” – deu a conhecer. Refira-se que esta situação deixou mais uma vez frágil a polícia que há anos vem sendo vista como braço partidário.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*