Opinião: A Liguilha armadilhada

Por: António Zefanias

Há sempre uma maneira de excluir da festa, aqueles que não nos convém, infelizmente. Só que essa festa é popular e não é de uma pessoa que decidiu fazer e mais nada.

Como sempre me posicionei em relação ao Moçambola, tal como SUSTENTA, ou alguma coisa aí mais, quando for para picar, não tenham dúvidas, mas também se for para elogiar, farei. Mas não é nada disso que pretendo nesta epistola, e desde já vou ao essencial.

A Federação Moçambicana de Futebol(FMF), liderada pelo senhor Feizal Sidat, decidiu ao meio do campeonato, gerido pela Liga Moçambicana de Futebol(LMF), organizar um mini-campeonato entre os três últimos classificados do Moçambola que termina já no final de semana que se avizinha.

A ideia é levar uma equipa, das três últimas, neste caso o Matchedje de Mocuba, Desportivo de Maputo e Textáfrica de Chimoio a subir novamente ao maior campeonato do país. Mas para isso, esses três últimos devem jogar entre si, numa coisa que a FMF apelidou de LIGUILHA, que terá lugar em Vilanculos, província de Inhambane, sul do país, entre os dias 21-27 de Novembro corrente.

Sem dúvidas que para todos que acompanham o desporto neste país, vê que aquilo que é uma armadilha para tramar uns e dar passaporte aos outros.

Uma LIGUILHA que vai ser realizada numa região em que um dos concorrentes faz parte, que só precisa de andar uns poucos quilómetros para chegar, enquanto que outros vão “comer” tanta poeira.

Poderia fazer tantos questionamentos em torno, primeiro do local onde se pretende disputar a tal Liguilha, porque não há dúvidas que, Vilanculos é uma cidade cara, por ser turística, o que maior parte dos adeptos, sobretudo do Matchedje e do Textáfrica podem não conseguir lá chegar e apoiar sua equipa. Os do Desportivo, até podem, porque é pertinho. Que tal se fosse em Pemba, Lichinga ou Nacala? Mais adiante, questiono, porquê Matchedje neste lote dos 3 quando na verdade não tem igualdade pontual com os restantes 2? Lembrando que o sr Sidat, usou como bandeira na campanha eleitoral que lhe levou à presidência, fazer com que o Moçambola tivesse 14 equipas. E agora, esqueceu-se desta promessa? Enfim…enquanto tivermos Tempo, iremos lutar, mas confesso que não temos paciência para tanta armadilha. Falei.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*