Canhanga, um piscicultor com vida: “As vezes me esqueço que sou deficiente”

Tem 60 anos e vive em Namacata, ao longo da Estrada Nacional 10, logo à saída ou entrada de Quelimane, a capital provincial da Zambézia. Paulo Canhanga é pai de 3 filhos, mas quis a força do destino, tornar-lhe uma Pessoa Com Deficiência(PCD)-física, tão cedo, mas mesmo assim, nunca se abalou.

As histórias da vida que tem para contar, tem várias etapas, desde o tempo que ouviu falar de Namacata, um nome que provem dos “Nhama-Yokatakata”, quer dizer “animal que se mexe”, dai surge o nome de Namacata.

Canhanga que se locomove usando duas canadianas(muletas), mesmo deficiente, não cruzou os braços. Nas imediações da sua residência, abriu três tanques de piscicultura e a produção lhe satisfaz.

Em conversa com o Diário da Zambézia, Canhanga explicou que se apaixonou pela actividade piscícola desde ano de 2016, quando fazia parte da Associação Nova Esperança. Ganhou experiência porque a associação praticava esta actividade. Um ano depois (2017), contou a fonte, decidiu usando meios próprios, abrir o seu primeiro tanque usando meios pessoais. Lembra que após a abertura do tanque, recebeu alevinos da extinta direcção provincial do Mar, Águas Interiores e Pescas, mas também alguns kg de ração. Mais um ano, mais um tanque, mais alevinos e, a paixão e amor pela actividade entrou no seu coração. Aliás, a paixão e amor que tem pela criação de peixe, fazem com que a produção, neste caso, a venda do peixe, alimente e sustente a família. “Não morremos a fome, mas também ajudamos muitas pessoas da zona”– explicou a fonte para quem, quando questionado como se lida com a deficiência, visto que a actividade de abertura dos tanques requere esforço, a resposta foi simples e até emocionante. “As vezes me esqueço que sou deficiente”– disse, para depois acrescentar que, “não quero ir à rua pedir esmola, os meus filhos vivem do rendimento do peixe e até um deles está na universidade”– sublinhou o produtor.

Na zona, Canhanga é o salva-vidas. Do peixe, veio o dinheiro para comprar painéis solares que são usados pela comunidade para vários fins, sobretudo carregamento de telemóveis. “Nunca cobrei nada, as pessoas carregam telefones aqui, sinto que estou a ajudar” – disse a fonte.

O fórum deve ser uma alavanca

Entre os dias 21 e 22 de Outubro corrente, a província da Zambézia vai organizar o 1o Fórum Provincial de Aquacultura, um evento que está sob cuidados da direção provincial da Agricultura e Pescas.

Pedro Canhanga é um dos convidados. Quando questionado sobre as expectativas, o nosso interlocutor disse que espera ver cumpridas as promessas que forem deixadas no evento, olhando a questão do financiamento e apoio aos produtores do peixe. Aliás, Canhanga não tem dúvidas que esta é uma oportunidade soberba da província mostrar o que tem como potencial nesta área, por isso, “acredito vamos estar todos expectantes” -augurou. Refira-se que a piscicultura é uma das potencialidades que a província da Zambézia tem e, espera-se com a realização deste evento, a actividade seja dinamizada.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*