Opinião: A mulher é uma viagem…

Por: António Zefanias

Ouvimos essa frase muitas vezes, mas se calhar poucos acreditamos na essência, por causa deste nosso machismo egocêntrico que, olhamos a mulher como alguém de lá, que a sua vida passa apenas por cuidar de filhos.

Mas com o andar da locomotiva, isso vai mudando, que perguntem o nosso mais velho Gregório Leão com a sua Ângela Leão. Quanta confiança, quanta declaração de amor em plena BO perante milhares de pessoas que seguem as sessões de julgamento.

A dona Ângela fez viajar o tio Leão, aqui na nossa tradição aquela declaração de amor tem muita explicação. Aliás, os que fanáticos de novela, já se lembram do Araponga, aquele homem das calcinhas.

Quando ouvimos o nosso mais velho a rugir na BO, todos ficamos com a impressão de que sim senhor, eis o nosso chefe, o rei da selva, porque sabe-se que leão é um daqueles animais que assume os seus poderes e não deixa nada escapar.

O rugido do leão afinal foi transformado em “memes”, portanto, em brincadeiras nas redes sociais, até os “nharingas” estão revoltados, porque dizem eles que não era aquilo que esperavam ouvir. Essa coisa de amor, não tem fronteiras e nem idade. Uma declaração de amor feita em julgamento e colocou dona Ângela a chorar, faz lembrar a música do mister Conselho “pode chamar bongwé…mas a mulher é uma viagem…”.

É mesmo uma viagem. O mais velho disse que vinha de uma viagem, logo a sua chegada, pimba, lhe levaram para uma casa que nem sabia de quem era, nem procurou saber, afinal quando uma mulher quer te viajar, te viaja mesmo.

Este julgamento vai nos ensinando algumas coisas uteis da vida. Por exemplo, o amor na dor, na alegria, na tristeza, etc, em que as pessoas devem estar juntas até onde der. Vimos aquele pegar de mãos entre o casal Leão naquela tenda, muitos até olharam isso como um simples show, mas tem significado, deixando as tais dividas ocultas à parte. São pais de filhos, chefes de família, que hoje estão privados de conviver oficialmente juntos. Há gestos que ficam eternamente na vida das pessoas, aconteça o que acontecer, mas há ali um principio de família, de união, seja qual for a interpretação de cada um, porque afinal, todos somos livres de interpretar o que nos convém.  Uma viagem de anos…que só precisa de Tempo e Paciência. Não Falei Nada.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*