No Chuabo Dembe/Quelimane: Corte de mangal leva famílias à Esquadra

Algumas famílias que se dedicam ao abate do mangal na zona do Chuabo-Dembe em Quelimane para transformar em carvão vegetal, estão sob custodia policial, desde esta quinta-feira(09), por terem sido flagradas nesta ação criminosa.

O corte do mangal naquela zona da cidade e em outras, ganhou contornos alarmantes e as famílias justificam que é pela pobreza que seguem este caminho. Num passado muito recente, lembra-se, a zona de Chuabo Dembe, acolheu o Programa Nacional de Repovoamento do Mangal, acto dirigido pela Ministra de Mar, Águas Interior e Pesca, Augusta Maita. 

Após terem sido flagradas e conduzidas a 4ª Esquadra Policial, o Diário da Zambézia interpelou uma das indiciadas que disse chamar-se Maria Luís, mas a justificação é a mesma, segundo a qual, a pobreza como sendo a principal causa que lhe arrasta para aquela prática.

Dona Maria reconheceu que não é problema não é a falta de informação, porque sempre tive, só que, diz ela, que a realidade obriga a cometer o crime para sobreviver, através da venda de carvão e estacas. “Não temos outra opção, o erro é roubar” – disse.

No entanto, o responsável da área de Fiscalização e Pesqueira, Augusto Dongo, lamentou o ocorrido, tendo frisado que a ideia é mesmo disciplinar as famílias para que abandonem esta prática e encontrem outras alternativas de sobrevivência. Segundo Dongo, trata-se do mesmo grupo que estava empenhado no corte de estacas em Inhassunge em quantidades elevadas e que culminava com a produção de carvão.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*