É preciso reformar os regulamentos dos IPF

O tempo passa, as coisas mudam, crescemos, adoptamos novos estilos de vida, quer no âmbito social assim como profissional. Um dos exemplos é este que nos batemos nestes dias, a questão do teletrabalho, algo que nunca entrou nas nossas contas.

Quero com estas palavras, abordar um assunto que inquieta a nossa sociedade nestes últimos tempos. Suicídios no Instituto de Formação de Professores de Quelimane, que em menos de 4 meses, dois futuros professores puseram termo as suas próprias vidas, diga-se, por terem supostamente violado os Regulamentos Internos, ao se envolverem em relações amorosas com colegas.

Estas situações de namoro ou sei lá mais alguma coisa, foram vistas como uma violação grave dos regulamentos e os gestores do IFPQ decidiram exarar despacho de expulsão, quer do Internato, assim como da Escola. Portanto, os estudantes perderam em definitivo os cursos.

Saber que estas a ser expulso, quando na verdade foi um martírio conseguir entrar no IPF, gastar rios de dinheiro, tirar o pouco da família lá em casa, é mesmo um golpe duro, mas, regulamentos são regulamentos.

Mas quem fez estes regulamentos e quando? A resposta é: O sector de Educação, há muito tempo. Eles se adequam a realidade? Em alguns aspectos sim, mas em outros não.

É aqui, neste último ponto que vamos juntos analisar e quiçá, pedir para que estes regulamentos sejam revistos e adaptem a realidade. Sabemos nós que por exemplo, só os maiores de 18 anos é que podem ingressar nestes cursos, mas não querendo aqui dizer que, basta ter essa idade pode fazer e desfazer, porque ali é para estudar. Muitos de nós, já nos deparamos na rua com uma rapariga com uma fisionomia grande, mas quando nos diz tenho 15 anos, não acreditamos. Só pelo corpo, as vezes babamos, mas no fundo, a lei lhe protege, portanto é menor.

Quero chamar atenção aquém de direito para reformar e reformular esses regulamentos internos dos internatos e não só, também das escolas, sob pena de usar a expulsão como pena máxima prevista. E, isso poderá trazer mais luto, porque há gente com coração pequeno, não aguenta com muitos embates. Há que salvaguardar a vida humana. Os nossos estabelecimentos de ensino não devem ser centro de suicídios, sobretudo aqui onde formamos professores, sob pena dos nossos filhos nas salas de aulas, terem que um dia o professor se suicide por não ter conseguido gerir assuntos com seus alunos.  Sei que este pedido vai levar algum Tempo, mas eu terei a Paciência para esperar. Não Falei Nada

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*