Frelimo contesta que rua que dá acesso à escola do seu presidente

A bancada da Frelimo na Assembleia Municipal de Quelimane, diz é ilegal a asfaltagem da rua 4.000, que liga o mercado Brandão a Escola Secundária-geral Filipe Jacinto Nyusi.

Falando nesta quarta-feira (07) no decurso da 2ª Sessão Ordinária da AMQ, o chefe da bancada, Celso Malua explicou que aquelas obras, não constam no Plano e Orçamento aprovado no ano passado (2020), daí que, a mesma está supostamente executada à revelia dos representantes dos munícipes.

Malua, deixou claro que a Frelimo não está contra o melhoramento daquela rua, porque segundo ele, era preciso para facilitar a mobilidade dos munícipes, mas o executivo liderado por Manuel de Araújo, alegadamente desobedeceu às normas plasmadas na Lei.

De acordo com a fonte, não é primeira vez que a bancada do partido no poder no país, contesta a suposta ilegalidade do acto. Aliás, fazendo fé as suas palavras, Malua frisou que por várias vezes pediu ao Presidente da Assembleia para marcação de uma sessão extraordinária com vista a aprovar o projecto, porém, sublinhou a fonte, ninguém deu ouvido. “Até hoje as obras estão em curso, quando na verdade, esta actividade não foi inscrita no plano e orçamento, muito menos aprovado” -lamentou

Contudo, a Frelimo garante continuar a contestar até que o documento seja aprovado como manda a Lei.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*