Mataram Bokly por algumas horas ou foi teste da fama?

Na terça-feira anoite, vários grupos das redes sociais, sobretudo o whatsapp e facebook, andaram agitadas por conta de um post de um internauta que dava conta da morte do rapper zambeziano, o homem que rima em chuabo, Bokly.

O rapaz é autor de várias letras e basta lembrarem-se da “Bianca”, a música do trio Constâncio Elias Valane, Suraj Ismael e o próprio Bokly, todos agrupados nos “Manos”.

Aliás, não me deixem mentir, o rapaz de cabelos afro, quando sob ao palco é uma verdadeira história, porque essa coisa de fazer rimas em chuabo, hum-hum, não é para qualquer um.

Sei lá imbuído de que espirito, este tal internauta anunciou, uma espécie de informação de utilidade pública que Bokly havia “partido cambota” e já estava no outro mundo.

Aiiii… que agitação. Os grupos partilharam, mas claro, os mais cautelosos trataram de ligar para o dito falecido e ele atendeu e disse que estava “numa wela”.

Agora, ficou a discussão se foi uma morte matada, quer dizer se foi algo intencional do tal fulano ou alguma outra coisa.

Isto porque, há no mundo dos famosos, a história de procurar sempre aparecer quando somes aos ouvidos e olhos dos teus fãs. Bokly não pode ser um destes com pensamento ruim como este que agitou os que o conhecem e admiram-no. Se é que foi mentira, na minha modéstia opinião ele deveria procurar aquele fulano que lhe deu como morto para perceber as reais motivações.

Deixar essa estória assim, pode levantar questionamentos e até há quem pode pensar que foi um post por encomenda para reavivar a sua fama.

Bokly, és uma pessoa idónea, por favor nos prove que aquele fulano, se é que não conheces pintado, teve más intenções e deixou-te apavorado e pior nos teus seguidores. Tu és a nossa estrela do “rapper” em chuabo, tens o nosso e o meu respeito, mas eu gostava de ter esse esclarecimento. Por isso, terei Tempo e Paciência para esperar. Não Falei Nada.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*