Polícias em Lugela que usaram arma para matar são arguidos

Foi preciso um exame de autópsia encomendado pelo Ministério Público, através da Procuradoria Provincial da República na Zambézia (PPRZ), para confirmar, se que de facto, os agentes da Polícia da República de Moçambique, afectos ao Comando Distrital de Lugela, mataram uma cidadã cuja idade não tivemos acesso, com recurso a arma de fogo, usando as mesmas alegações de balas perdidas.

Trata-se do incidente que ocorreu no dia 26 de Agosto de 2020, quando os agentes da Lei e Ordem (usando abusivamente o poder armado), tentavam dispersar a fúria popular que exigia medidas mais educativas por parte dos membros da polícia, que alegadamente teriam espancado um cidadão de 60 anos de idade, porque supostamente não portava máscara, face às medidas impostas pelo governo para a prevenção da Covid-19. Mas, no entender da população, não trajar máscara, não deve ser motivo de violência qualquer que seja. 

Ler mais na versão pdf, mediante subscrição

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*