Rio Chire em alta: Zambézia e Tete não se comunicam

O batelão do rio Chire que garante a ligação entre a província da Zambézia através do distrito de Morrumbala e o distrito de Mutarara em Tete, encontra-se paralisado há quase três semanas, em causa está a subida dos níveis das águas que passou no nível do alerta.

Para além das chuvas que fazem-se sentir nos últimos dias um pouco pela província da Zambézia, as descargas das águas efectuadas recentemente na barragem de Hidroelétrica de Cahora-Bassa contribuíram no aumento do nível das águas naquele rio que até ontem, tinha atingido aproximadamente 8 metros, tal como avançou em entrevista telefónica neste domingo (11), o director distrital de Planeamento e Infraestrutura de Morrumbala.

Neste momento segundo, disse Rui Semo não há alternativa para comunicação terrestre entre as duas margens e vice-versa, a não ser que os utentes atravessem o rio, através das pequenas embarcações, meios circulantes em que nalgumas vezes sobretudo os momentos de ventos fortes bem como inundações pode constituir um perigo humano.

Semo, reconheceu os prejuízos que a população que se fazem naquela travessia, sobretudo os que dependem do outro lado de Mutarara para exercer as actividades agrícolas, daí que chama atenção aos mesmos para que mantenham calma e paciência, até que a situação volte à sua normalidade. “Provavelmente daqui a 15 dias o nível das águas pode vir a reduzir, daí que o batelão voltará a circular “-disse o responsável da SDPI de Morrumbala. De referir que historicamente aquele batelão não arrecada nenhuma receita para o cofre do Estado, ou seja, é considerado como bem social, apenas os utentes pagam alguns valores para a manutenção do próprio meio.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*