Opinião: Cada aluno deve levar álcool em gel a escola. E os carenciados?

O ano lectivo abriu oficialmente na última sexta-feira(19), conforme reza o calendário lectivo divulgado pelas entidades competentes.

Na segunda-feira, esperava-se conforme se pode ler, que os alunos estivessem sentados nas salas de aulas, devidamente organizados seguindo as medidas de prevenção à Covid-19 emanadas pelo Estado.

Em muitas escolas, sobretudo públicas, os alunos ainda continuam sem conhecer as suas turmas, portanto onde vão estudar. Uns não tem nomes ainda nas listas, enfim típico de como tem sido. Outro dilema, neste novo normal é a divisão das salas de aulas, naquelas situações em que todos conhecemos que cada turma tinha uns 75 a 80 alunos. As escolas estão a fazer o máximo, mas eipaaaa não deve ser fácil.

Por falar do novo normal, as escolas dizem que os alunos devem levar álcool em gel para desinfectar as mãos. Portanto, cada aluno com seu frasco. Isso pode levantar vários debates, porque conforme se sabe, nem todos alunos tem condições para ter álcool em gel.

É do conhecimento público que muitas famílias mandaram seus filhos a escola porque também houve isenção de matriculas. Mesmo para conseguir ter uniforme, caderno, lápis, etc tem sido uma grande ginástica. Agora com essa obrigatoriedade segundo a qual, cada aluno deve ter álcool em gel, penso que vai ser mais complicado. Os mais necessitados vão sair lesados e ficaram infectados com o vírus.

Pensei eu que tal como o Presidente da República orientou os bancos a terem um desinfectante nos ATMs faria o mesmo com as escolas em que cada aluno, passaria por lá para desinfectar as suas mãos. Tudo contrário, agora é mesmo obrigatório ter álcool.

Se um pai que vive de pesca, machamba, condutor de txova, cortador de lenha não consegue ter uma máscara limpa para usar, ainda exigimos que o filho tenha um frasco de álcool em gel?

Não seria mais sensato tal como dizem por ai que estão a dar máscaras nas escolas, também incorporar álcool? Onde anda dinheiro do Apoio Directo às Escolas? Não seria esse que poderia suprir essas necessidades para os desfavorecidos?

Parem e pensem antes de tomar medidas que ofendem o pobre cidadão. Ao bem dos necessitados, “Não Falei Nada”

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*