Juma Zacarias Aiuba (1981-2021) “Co-licença”

Apagou-se aquela que certamente foi a voz que usava as escritas em muitos géneros para desempenhar um papel fundamental como liberdade de expressão.

Juma Zacarias Aiuba, nasceu em 1981, em Bajone na Maganja da Costa, Zambézia e nos últimos tempos, foi a voz mais critica com vários textos que o mundo leu e comentou. Jornalista de profissão, algo que sempre fez com gosto.

A sua morte ocorrida na madrugada desta terça-feira, na sua residência em Nampula, vítima de doença, está a abalar os variantes quadrantes.

Conforme avançámos na nossa pagina do facebook(facebook/jornaldiariodazambezia.com), uma fonte familiar confirmou que Juma Aiuba, “Co-licença” ou por outra “Maitololo”, tinha um furúnculo na perna, mas não era algo assim que lhe deixava abalado. “Ele andava, brincava com toda gente e até escrevia” – disse o irmão do finado ao DZ.

Só que, de acordo com a fonte, na noite desta terça-feira, a esposa do finado telefonou dizendo que Juma havia perdido a vida. “Custa compreender como meu irmão morreu, ele não apresentava sinais de gravidade” – lamentou.

Juma foi e será sempre um eterno combatente que o país vai se lembrar dele. As suas escritas ficaram eternamente guardadas e recordadas. As gerações vindouras devem encontrar o que Juma escreveu. Todos nós temos de valorizar aquelas obras de arte que certamente, será difícil alguém apagar do nada.

Maitololo, foi um colaborador desta casa que se chama “Diário da Zambézia” desde os primórdios, sempre escreveu sem parar. Aliás, era essa sua veia.

Nesta hora de partida, a direção do DZ e todos colaboradores, endereçam a família enlutadas os mais sentidos pêsames. Paz a sua alma.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*