Mesmo com a lei em vigor: está difícil enterrar mortos à sós

Enquanto o governo luta para colmatar o Covid-19 por um lado, por outro, a população parece não levar à sério a situação em que o país atravessa, segundo ilustram as imagens em poder do Diário Zambézia.

Por exemplo em Quelimane, alguns munícipes continuam a ignorar às medidas de prevenção da Covid-19, sobretudo quando se fazem as cerimónias fúnebres, desrespeitando assim o Decreto Presidencial(DP).

Sabe-se que o novo DP restringe a lotação de pessoas nas cerimónias fúnebres, que segundo a lei, só são permitidas no máximo 20 pessoas nos funerais, isso no sentido de se evitar ao máximo a propagação da doença pandêmica que já matou e infectou milhares de pessoas em quase todo o mundo. Mas segundo constatou o Diário da Zambézia na semana finda, em Quelimane os funerais ficam lotados e algumas pessoas até dispensam o uso da máscara, uma situação que pode propiciar a contaminação da Covid-19. 

Ler mais na versão pdf, mediante subscrição

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*