Saiba o que significa a luz do motor acesa

Não entre em pânico se vir a luz do motor acesa. Descubra o que significa, os possíveis motivos e como agir nesta situação.

Para a grande maioria das pessoas, ter a luz do motor acesa significa “o meu carro está prestes a ir à vida!”. Contudo, a solução para este problema pode ser até bem simples.

Os automóveis, mesmo com uma manutenção regular, por vezes dão problemas. É normal, porque existe um desgaste associado à utilização. Este desgaste vai-se tornando maior, e mais visível, com o aumento da quilometragem de ano para ano.

Para o ajudar nesta situação, deixamos algumas dicas de como agir neste momento, quais os motivos que podem originar este aviso e quais as suas consequências.

O QUE INDICA A LUZ DO MOTOR ACESA

Esta luz (com o formato de um motor, triângulo ou raio, e que pode ser de cor laranja ou vermelha), indica de forma genérica a existência de um problema no sistema de injeção eletrónica. Este só pode ser diagnosticado corretamente numa oficina.

Este sistema, que veio de forma massiva substituir o carburador, é responsável por alimentar, de forma otimizada, o motor do carro. Assim, determina as quantidades de combustível e ar necessárias para o funcionamento correto do motor.

Para isto ocorrer de forma eficaz e eficiente, o sistema é constituído por sensores que recolhem informações sobre o funcionamento do carro.

Estas informações chegam a uma central de informações, mais conhecida por centralina, que é o cérebro do sistema. Com base nos dados recebidos, a centralina transmite comandos para alimentar componentes essenciais para o funcionamento do carro.

LUZ DO MOTOR ACESA: O QUE FAZER

Sabe aquela pergunta que os informáticos fazem quando tem um problema no computador? “Já desligou e ligou o pc?”. Tendo em conta que esta falha é num sistema electrónico, a primeira opção é mesmo desligar o carro, esperar uns minutos e voltar a ligar.

Nesta fase, o sistema eletrónico é reiniciado e volta a fazer a verificação dos sensores e, em alguns casos, este aviso desaparece. 

Se mesmo assim o aviso permanecer ligado, o melhor que tem a fazer é levar o carro, o mais rapidamente possível, a um mecânico de confiança. O mecânico deverá ter uma máquina específica, que permite detetar o verdadeiro problema.

POSSÍVEIS MOTIVOS E CONSEQUÊNCIAS

Basicamente, quando este aviso aparece é porque há um problema com as peças pertencentes ao sistema de injeção.

Neste sentido, há vários motivos que podem originar este alerta. No entanto, os mais comuns são:

  • Velas de ignição entupidas ou em mau estado;
  • Erros na centralina;
  • Válvula EGR entupida ou danificada;
  • Catalisador entupido;
  • Sensor de temperatura danificado;
  • Injetores entupidos;
  • Sonda lambda (sensor de oxigénio) danificada;
  • Falha genérica de um sensor.

Consequências de problemas no sistema de injeção

Caso se verifique um problema no sistema de injeção, importa corrigi-lo de imediato, uma vez que pode acarretar determinadas consequências, tais como:

  • Dificuldade em colocar o carro a trabalhar;
  • Aumento excessivo do consumo de combustível;
  • Perda de potência.

EM SUMA

Como referido inicialmente, este alerta traduzido na luz do motor acesa pode remeter para um problema genérico, que só é identificado recorrendo a equipamento próprio para a análise dos sistemas de injeção electrónicos.

Assim, se o problema não se resolver desligando e ligando o carro, ou se a luz se acender mesmo que esporadicamente, leve o seu automóvel a um mecânico com o equipamento adequado.

Caso o mecânico não tenha esse equipamento, não aceite mudar qualquer peça do seu carro, pois será uma questão de sorte adivinhar qual é a causa do problema, uma vez que existem várias possibilidades.

O que pode ser uma intervenção “barata”, pode tornar-se uma dor de cabeça dispendiosa. Imagine que há um componente barato de substituir a estragar o funcionamento de componentes mais importantes e caros de reparar.

Por isso, se vir a luz do motor acesa não entre em pânico. No entanto, também não facilite e procure ajuda de um profissional.

Fonte: e-konomista.pt

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*