Apolo está preso desde ontem em Quelimane

A Polícia da República de Moçambique em Quelimane, apresentou à imprensa, um indivíduo que supostamente é um cadastrado perigoso e com várias passagens pelo mundo criminal.

Trata-se de Gildo Pereira, mas que no mundo criminal é mais conhecido por Apolo, tido como aquele que em 2019, incendiou a viatura Mahindra da PRM no Posto Administrativo de Macuse, província da Zambézia e depois sumiu.

“Apolo” foi pegue em Licuar, mas ele diz não ser autor deste crime de destruição de bens do Estado, explicando que o verdadeiro autor é um tal irmão que se encontra foragido.

Só que essa justificação não pega para a polícia que desconfiando das artimanhas supersticiosas, os agentes encarregues a escoltar Apolo, para além de algemas, usaram outros meios como cordas, capim, etc para amarra-lo alegando que só com algemas, Apolo iria desaparecer mesmo com as armas apontadas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*