Festejar sim, mas lembrem-se que há(outro) mês depois das festas

Por estas alturas todos procuram o bom e do melhor para festejarem o natal e final de ano. Tem sido assim quase todos anos.

Os mercados estão abarrotados de gente de todas idades em que cada um procura o que lhe convém e de acordo com o seu bolso. Isso mesmo, há gente que amanhece e vai andando de loja em loja, mercado em mercado, banca em banca procurando o melhor que podem.

Ao que se pode notar, os salários já saíram e outros ainda vão à tempo de sair por estes dias. Pode ser este o grande motivo da agitação.

Mas o que se procura mesmo? Simples como isso. Há uns que procuram ter comida para festa, outros procuram roupa para usar no natal e final de ano, outros procuram entrar no bolso dos outros para roubar. Nisto, aconselho que tome nota nestes últimos que apontei, porque não tem piedade.

Sem precisar de abrir muito os olhos é possível ver também que alguns produtos tiveram um incremento dos preços, quer dizer, os aproveitadores de sempre aumentaram para ganhar mais. Aqueles que dizem que controlam preços, só andam vestidos de colectes de loja em loja, no fim não há nada que se veja. Enfim é o dilema de não termos um regulador de preços.

Mas não é disto que quero falar hoje, quando se sabe que amanha sexta-feira é dia grande, dia de natal, dia de família como outros dizem.

Todos vamos poder festejar sim senhor, mas é preciso lembrar que depois de Dezembro, há um outro mês e vocês todos conhecem. Querem que eu diga qual é? Não precisa…vocês sabem.

O tal mês que me refiro e vocês conhecem, tem sido doloroso para muitas famílias que em Dezembro querem viver como se fosse a última vez na vida. Querem acabar tudo o que conseguiram guardar durante os 12 meses e no mês seguinte, portanto este que não quero falar o nome, a coisa começa a apertar. E sabem que agradece? São os agiotas que estão atentos a estas “festanças” todos que vocês estão a protagonizar.

É preciso não embarcar no mundo de euforias, sobretudo aos meus amigos que como eu, andamos com calculadora nas mãos. Não é bom imitar os que podem. Compre seu carapau e se calhar um frango ai, junte com mucuane de mandioca e mais alguma coisa, chega para passar o dia. Vão me dizer que estão a procura de nova roupa. E então se passar com aquela roupa antiga, o ano vai parar? Certamente que não. Quer embarcar também em seguidismo cego que depois vais te lembrar do Dezembro.

Enfim, estas escritas não são adaptadas, mas sim espelham uma realidade que muitos vivem quando estamos em momentos festivos como este. Por isso, antes que me atirem pedras, eu “Não Falei Nada”.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*