Nas APs: salários chorudos geram mau ambiente

Por estes dias, os membros das Assembleias Provinciais do país, andam tensos com os seus superiores, neste caso concreto com os presidentes daqueles órgãos deliberativos, tudo por causa de uma tabela salarial definida pelo Ministério da Economia e Finanças que determina salários “chorudos” para os presidentes e umas “migalhas” para os membros.

O documento era tido como confidencial e secreto, mas acabou vazando e chegou às mãos dos membros de todo país e só não se rebelaram porque maioria são da Frelimo.

O Diário da Zambézia teve acesso ao documento assinado pelo ministro Adriano Maleiane e mostra muito bem quão é a diferença salarial entre os dirigentes do órgãos e os restantes membros.

Ler mais em versão pdf, mediante subscrição

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*