Caso Educação: o réu confessou em tribunal

O Tribunal Judicial da Província da Zambézia(TJPZ), não larga os 7 funcionários da direcção de Educação e Desenvolvimento na Zambézia, onde Armindo Primeiro é o réu principal acusado pelo Ministério Público(processo 46/2017) em ter pago cerca de 3 milhões de meticais a uma empresa de construção para reabilitar a Casa de Cultura de Chinde.

Na sessão de acareações, Armindo Primeiro confessou ao juiz. “Fui traído meritíssimo pelos meus colegas”-explicou.

O juiz da causa, Sérgio Zandamela perguntou o porquee de assinar contrato sem conhecer o empreiteiro e o réu Primeiro disse “estava confiante nos meus colegas, mas hoje sinto-me traído”-disse.

Ler mais na versão pdf  mediante subscrição

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*