Covid-19: Zambézia cada vez mais vermelho

A pandemia da Covid-19 vai tomando um caminho preocupante na Zambézia, uma província que há um mês atrás, era elogiada pela forma como se continha na contaminação com o vírus. Aliás, foi por isso que o presidente da república, Filipe Nyusi “rendeu-se” ao director provincial de Saúde, Blayton Caetano quando este explicou na sessão extraordinária do Concelho Executivo Provincial sobre a receita que os zambezianos estavam a usar para que o vírus não fosse tão propagado.

Em tão pouco tempo, tudo mudou, sobretudo desde o dia 25 de Agosto quando cerca de cinco autocarros que transportavam os agentes da polícia formados em Matalane chegaram a Quelimane.

Como não houve vigilância, ai sim o mapa começou a preencher e o vermelho começou tornou-se a cor mais visível no mapa epidemiológico sobre a Covid-19 nesta parcela do país.

De repente, os números aumentaram e neste momento, de acordo com a última actualização de dados que o Diário da Zambézia teve acesso em EXCLUSIVO, dos 22 distritos da província, apenas 04 (Chinde, Namacurra, Lugela e Namarrói) é que estão até então sem casos da Covid-19.

Os dados que temos vindo a fazer menção, demonstram em tabela cada distrito em vermelho quantos casos tem.

A situação segundo as autoridades de saúde está cada vez mais complicada, aliada a falta de cumprimento de medidas por parte do cidadão, mas também por falta de coordenação multissectorial, visto que cada acção do cidadão enquadra-se num sector. A titulo de exemplo e que pode aumentar o número de casos nos próximos dias foi pelo facto de, neste domingo, as praias de Zalala e Bera(Mocuba) estavam apinhadas de gente(ver edição anterior), onde os banhistas desrespeitaram tudo. Essa forma de viver, considerada de “novo normal” pode ajudar a preencher o mapa de vermelho, visto que é bem provável que alguns dos banhistas podem ter vindo dos distritos onde ainda há alguma esperança, por isso que as entidades não se cansam de apelar aos cidadãos no cumprimento das medidas tais como o uso da máscara, lavagem das mãos e o distanciamento social.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*