Suportou a crise e disse basta: fechou “o paraíso” turístico…ZBLS

A província da Zambézia e quiçá o seu distrito de Quelimane, vai sentir saudades e muitas saudades mesmo…fechou o paraíso turístico, aquele que deu alegrias, acolheu eventos como casamentos, festas, etc. 

Estamos a falar de Zalala Beach Lodge, uma estância turística erguida com capitais privados na localidade de Supinho, distrito de Quelimane.

Segundo soube o Diário da Zambézia, não há neste momento previsão para a reabertura daquele que foi até então o melhor e maior local turístico aprazível. Ninguém sabe ao certo o que terá se passado, mas a crise financeira e algumas ligações políticas podem ter prejudicado muito aquele negócio que era visto como um “paraíso” no meio do nada, olhando pela localização.

Erguido desde finais 2009 e aberto em 12 de Abril de 2012 oficialmente ao público, com investimento de cerca de 6 milhões de dólares norte americanos, ZBLS foi sempre o rosto de turismo na Zambézia.

Suportou a crise e disse…basta

O mundo vive uma pandemia jamais vista. A economia parou e isso arrasta consigo também os seus efeitos.

O turismo é um dos sectores que não escapa os efeitos da crise, alguns deles criados pela COVID-19. Zalala Beach Lodge, cerca de 45 km da cidade de Quelimane, foi também afectado e hoje, mando ao mundo de desemprego, trabalhadores que prestavam serviços a hotelaria.

O histórico do Complexo ZBLS faz arrepiar quando é contado. Desde a construção, melhoramento de acesso da estrada que liga Zalala-Supinho e por ai fora.

Carvalho Muária, antigo governador da Zambézia, teve um papel chave como governo no impulso do turismo naquela região.  Supinho renasceu com o funcionamento do ZBLS, gente local foi empregue, mulheres foram ensinadas a fazer coisas úteis, no que tange a responsabilidade social. Hoje, com o encerramento do Lodge, certamente que haverão muitas pessoas com saudades. Mas a crise não dá tréguas e não havia como manter uma infraestruturas onde o entendimento político contribuiu para agudizar a crise.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*