Luto: Tombou um “ícone” no jornalismo

A classe jornalística moçambicana, perdeu um dos seus renomados profissionais. Faleceu neste domingo, no Hospitalar em Nampula, o jornalista e escritor, Pedro Buraimo Nacuo

Foi natural de Nipepe, província de Niassa, tendo nascido a 06 de Abril de 1962, mas por conveniência os seus documentos dizer ser natural de Lalaua, porto administrativo de Méti, na província de Nampula, por ser terra dos seus pais. O malogrado teve um percurso invejável quer na classe jornalística, assim como nos escritores. Como jornalista Nacuo, entrou com colaborador do “Jornal Notícias” em 1990, onde fazia preferencialmente reportagens de fundo que  semanalmente eram publicadas. Em Cabo Delgado, foi  fundador da Delegação do “Notícias” onde trabalhou durante 18 anos como delegado e jornalista. Granjeou simpatias pelo seu trabalho. No “matutino”, o jornalista não perdia nem um semana em escrever na sua habitual coluna de crônicas “dizer por dizer”, onde nunca teve medo de criticar e elogiar sempre que tivesse a caneta as mãos. Escreveu livros e um deles “Boroma”, homenagem a todos os professores, dando gratidão e coragem  aos professores, uma classe em que ele já foi pertença, pese embora tenha depois “saltado” para o jornalismo. Como professor, Pedro NACUO foi formado na Escola de Formação e Educação de Professores de Chibubutuine(Manhiça).

Até a data da sua morte, Nacuo desempenhava as funções de editor na seção de Política no semanário “Domingo”. O Diário da Zambézia, endereça a família enlutada as mais sentidas condolências.

Paz a sua alma.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*